De 7 a 10 minutos. Segundo Susan Weinschenk, autora do livro Apresentações brilhantes, esse é o tempo que conseguimos prestar atenção ininterrupta em outra pessoa – isso se o tema nos interessar e, é claro, se o palestrante for bom.

O que você consegue dizer em dez minutos? Quantas das suas ideias consegue transmitir? Quantas pessoas consegue convencer?

A competição é forte. Na era dos smartphones, por exemplo, disputamos nosso público com todo tipo de informação. Uma mensagem, uma notificação, um post do Instagram – se não cativar sua plateia, muitas coisas podem tirar a atenção dela de você.

Mas a boa notícia é que é possível. As apresentações mais marcantes acontecem quando a plateia percebe que o palestrante se importa com as necessidades dela. Ou seja, quando percebe que ele se preparou, que otimizou o tempo e se entregou de verdade àquele diálogo.

Como disse Ken Haemer, gerente de pesquisas da multinacional AT&T: Elaborar uma apresentação sem levar o público em conta é como escrever uma carta de amor e endereçá-la “a quem interessar possa”.

A verdade é que a estrela do seu espetáculo não é você, e sim a sua plateia. Coloque-se no lugar dos espectadores: o que você gostaria de ouvir se estivesse no lugar deles? O principal é deixar claro para as pessoas por que a sua apresentação é importante.

Para chamar a atenção do seu público, existem algumas estratégias importantes, que vão além de um bom conteúdo e de uma boa oratória. A seguir, vamos dar 6 dicas para você conquistar a plateia na sua apresentação.

 

Dicas para chamar a atenção da plateia

#1 – O começo é crucial

Imagine a cena. Você entra na sala de reuniões, na sala de aula, no auditório. Toma seu lugar como apresentador – na ponta da mesa, em frente ao quadro ou em cima de um palco. Sua plateia – tenha ela dez, cinquenta ou cem pessoas – está esperando pelas primeiras palavras da apresentação.

Esse é um dos momentos mais importantes da sua palestra. É no início que você vai cativar, ou não, os seus espectadores. Transforme esse primeiro contato em algo pessoal, interaja com eles, faça contato visual. Você pode trazer um exemplo do que pretende abordar, seja ele de sucesso ou de fracasso. Pode usar humor, ou não, dependendo da sua personalidade.

Não tente inventar um personagem, seja você mesmo. Mas aproveite esses primeiros instantes de conversa para manter o público atento às suas palavras.

 

#2 – Faça mudanças na narrativa

Lembre-se de Susan Weinschenk: somos capazes de prestar atenção ininterrupta em uma pessoa apenas por 7 minutos. O que fazer, então, quando você precisa de 20, 40 ou 60 minutos para falar tudo o que planejou?

A resposta é simples: reoriente a sua apresentação a cada 7 minutos, mais ou menos. Aqui vão algumas sugestões de como fazer isso:

  • Peça um mini-intervalo: afinal, sempre é bom ter uma pausa.
  • Proponha algo interativo: imagens e vídeos instigantes, perguntas ou desafios são uma forma de direcionar a atenção da plateia.
  • Mude de assunto: aborde outros tópicos, outras perspectivas do tema geral da sua apresentação.
  • Conte uma história: ela deve ser curta e pertinente ao tema em questão.

 

#3 – Segmente a plateia

Outra dica importante: a plateia não é homogênea. Você vai encontrar várias pessoas que querem estabelecer um diálogo, receber uma atenção específica.

Pense no seu público, faça pesquisas e pergunte-se:

  • Como são essas pessoas?
  • Por que estão aqui?
  • O que lhes tira o sono?
  • Como posso resolver o problema delas?
  • O que eu quero que elas façam?
  • O que elas querem que eu faça?
  • O que faria com que elas resistissem aos meus argumentos?
  • Qual a melhor maneira de alcançá-las?

Ao planejar sua apresentação, determine os diferentes grupos dentro da plateia. Descubra quais participantes exercem influência sobre os outros, quais podem fazer com que os demais adotem a sua ideia. Ou mesmo quais gestores e clientes você vai precisar conquistar para vender o seu peixe.

Definido esse alvo, direcione o seu discurso, personalize a sua apresentação para esse grupo. Mas não se esqueça também de criar conteúdos que interessem à maioria. Fale com franqueza para as pessoas.

 

#4 – Apresente-se com clareza e concisão

Mais uma vez, pense no público. Ao se apresentar para executivos, por exemplo, entenda que eles não têm tempo a perder. Precisam de objetividade e de clareza. Uma apresentação longa, com a grande revelação no final, não é uma boa estratégia para conquistar esse público.

Uma dica valiosa: vá direto ao ponto. Seja objetivo, use menos tempo do que lhe foi concedido e, principalmente, exponha suas conclusões logo no início. Entregue a eles exatamente o que pedem, não fuja do assunto.

Comece contando sobre o roteiro e o tempo que vai levar. Fale sobre os tópicos da sua apresentação e sobre o espaço para as perguntas, se for o caso. Crie, também, slides de resumo. Se a sua apresentação tiver 15 slides, por exemplo, um deles devem passar uma visão geral breve e esclarecedora.

 

#5 – Adapte sua linguagem

Não adianta utilizar um linguajar técnico para um público leigo ou linguagem leiga para uma plateia composta por especialistas. É o que afirma Reinaldo Polito, palestrante e professor de expressão verbal.

Em outras palavras, as pessoas podem não entender sua mensagem porque você utilizou um vocabulário inadequado. Durante a apresentação, seja claro e adapte sua forma de falar ao público. 

 

#6 – Ensaie

Pode parecer uma dica óbvia, mas nem todos os palestrantes se preocupam com essa estratégia de preparação.

Se for possível, mostre seus slides para alguém de confiança e faça sua apresentação para essa pessoa. Peça uma opinião sincera e aceite sugestões. Depois disso, ensaie várias vezes, até estar totalmente confortável com o que vai dizer.

 

Como convencer a plateia?

Quais transformações você almeja? De que modo sua plateia entra na sala e de que modo você quer que ela saia? Quais novas crenças você quer que ela adote?

Incorpore o roteirista de um filme, planeje a transformação do protagonista. Mudanças raramente acontecem sem esforços. Construa uma interação que influencie as pessoas, que possa persuadi-las e levá-las a agir. Se você vai evocar entusiasmo, olhares confusos ou tédio, isso vai depender de como sua mensagem pode repercutir na plateia.

Uma dica fundamental é identificar os pontos em comum entre você e o seu público. Comunique-se com ele nessa frequência. Examine experiências semelhantes, objetivos compartilhados, relações de troca. Descubra como as suas qualificações podem ajudar essas pessoas.

Pense no que existe nelas e que também existe em você. Dessa maneira, elas vão reagir à sua apresentação não porque você forçou qualquer tipo de vínculo, mas porque atingiu uma crença que já existia nelas.

 

Referência:

DUARTE, Nancy. Apresentações convincentes. Rio de Janeiro: Sextante, 2018.